quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Screen Saver panóptico


Eis um pequeno mas muito ilustrativo exemplo das minhas hipóteses sobre a naturalização da vigilância como modo de olhar e prestar atenção na cultura contemporânea: o Surveillance Saver é um protetor de tela que disponibiliza imagens de 600 câmeras de vigilância ao redor do mundo, tornando o seu monitor um dispositivo panóptico. O novo sistema operacional da Apple já vem com o Surveillance Saver incluído, mas trata-se de uma licença livre. Quem não puder ou não quiser instalar o programa pode visualizar as imagens separadamente no site da axis network cameras. A matéria é do Times Online, via Carnet de Notes.

O exemplo também mostra o quanto esse olhar vigilante, cada vez mais distribuído e "ao alcance de todos", envolve não apenas procedimentos de controle, mas processos de prazer e entretenimento. Acabei de escrever um artigo sobre essas questões e em breve ele será publicado on-line e divulgado aqui. A releitura de um texto do Paul Virilio de 1998 fornece algumas pistas para pensar a passagem do que ele chama de uma lógica televisual clássica para uma lógica da tele-vigilância doméstica. Há aí um possível reposicionamento do espectador, em que este se parece cada vez mais com um tele-observador e um operador de circuitos de câmeras de vigilância.

2 comentários:

paoleb disse...

mt bom. fatorelli sugeriu, após minha apresentação, que eu fosse no virilio. vou começar por esta dica aqui. grata!

Fernanda Bruno disse...

Pois é, esse texto é bom e acho que fará bom uso dele. Havia mesmo pensado em vc quano o li.
beijinhos,
Fernanda