quarta-feira, 25 de julho de 2007

Tristeza Colaborativa e Auto-retrato



No Écrans-Libération há uma seção intitulada "site du jour" (site do dia), que elege diariamente um site "interessante" de se ver. O de hoje chama-se "I'm too Sad to tell you", um site que reúne auto-retratos de pessoas chorando, enviados pelas próprias. O projeto é declaradamente inspirado no trabalho homônimo do artista holandês Bas Jan Ader, em que este documenta o seu póprio choro silenciosamente diante da câmera num filme de 3,21 mim (1971). Contudo, o resultado do projeto se aproxima mais da imensa série de projetos do mesmo tipo na internet, que põem em obra um exibicionismo colaborativo montando arquivos de auto-retratos em formato 2.0, os quais por sua vez se assemelham aos inúmeros retratos dos perfis pessoais nas redes sociais e afins, ou às sequências de auto-retratos nos fotologs de adolescentes. A especificidade do "I'm too Sad to tell you" consiste em focalizar o choro como matéria do auto-retrato, o que permite vir à tona uma série de tensões entre o descontrole do choro e o controle do ato fotográfico, a espontaneidade e a performance, a autenticidade e o artifício. Mas essas tensões são relativamente dissipadas, talvez pela seriedade do projeto, pela ausência de alguma ironia necessária à sustentação da ambiguidade que esses gestos reunidos potencialmente contêm. Ou não.

4 comentários:

tiago disse...

conhece o beautyfull agony?

Fernanda Bruno disse...

Oi Tiago,
Não conhecia não...obrigada pela dica. Vou fazer um post sobre isso.
Abs,
Fernanda

Felipe disse...

A tristeza verdadeira é silenciosa, pois não tem mais esperança de mudar nada se declarando.
Beijinhos e parabéns pelo blog!
Lindo!

Fernanda Bruno disse...

Obrigada Felipe. E tudo de bom para você!
beijos,
Fernanda